terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Escola do Movimento - Ivaldo Bertazzo

Corpo Vivo é a mais recente publicação de mais de 35 anos de pesquisas do dançarino, coreógrafo e pesquisador do corpo e do movimento, que desenvolveu a metodologia da escola do movimento, paulistano, há décadas ministra cursos e worshops sobre a reeducação do corpo para o movimento e exercícios multifuncionais que previlegiam o fortalecimento do corpo e sua estrutura óssea e muscular conectados ao sistema nervoso funcional contra a gravidade, com movimentos treinados sempre em pé, na condição de alerta, de tonos muscular. Devemos estimular e educar o corpo para estar sempre de prontidão, isso garante a saúde e longevidade estrutural e funcional do nosso corpo.

Bertazzo tem sua escola na Rua Cotoxó, 1 - Pompeia - Zona Oeste de S. Paulo, onde encontramos um ambiente clean e multicultural, onde já desenvolveu grandes coreografias em parceria com o SESC com o projeto Samwad e Milágrimas, com jovens de diversas comunidades da metrópole paulistana,provocando a construção de coreografias com movimentos criados e reelaborados pelos próprios jovens a partir de suas experimentações e pesquisas multiculturais e aos alunos que procuram como terapia a reeducação do movimento, Ivaldo promove a saúde funcional do movimento corporal.

O SESC junto com Bertazzo, vem promovendo um novo conceito com o programa de Ginástica Multifuncional - GMF,que promove o contato com exercícios e treinos que estimulem mais a reeducação do movimento multifuncional, mais movimentos em pé,criando situações de desequilíbrio propositais,onde na instabilidade se desenvolvem posturas e reorganizações neurosensoriais e estruturais dos movimentos do corpo e com isso mais força e saúde integral do ser.

Esta fisioterapia corporal, que reconhece,reaprende e reeduca o corpo para os movimentos cotidianos, usando as suas propriocepções (percepções sobre o próprio corpo),como usar o ato de comer para exercitar por exemplo, a complexa musculatura facial e temporo-mandibular. Usar os dedos, as extremidades, para reaprender a usar a postura correta de se sustentar em pé pelos artelhos (dedos dos pés) e não com os calcanhares, para se locomover e andar...Isso garante a flexão motora.

Como diz Bertazzo, nunca espere um ônibus ou metrô relaxado,descansando sobre uma das pernas,isso é péssimo, é um típico exemplo de quando estragamos nosso corpo com posturas erradas, viciadas e que não servem para nos manter saudáveis...pois, temos que ficar sempre com o corpo em posição de prontidão de força muscular, um apoio-sustentado em uma postura com manutenção do tônus muscular, valorizar exercícios de marcha, de funcionalidade para andarmos, apanharmos objetos, pularmos, agarrarmos coisas no alto e no baixo, dançar é um movimento saudável e funcional,pois envolve todos os sentidos e musculaturas do cotidiano...!

Aqui algumas dicas do Bertazzo:

SPA do Movimento!!!!

http://www.ivaldobertazzo.com.br/

www.folha.com/eq928443

Aconselha aos seus alunos experimentarem o ritual do esfrega-esfrega, um"scrub" de esfregação,antes ou depois do banho,por cerca de 6 minutos, escovando o corpo em suas articulações e pontos nervosos ao redor dos olhos,nuca, cotovelos, joelhos e cabeça.

A parte da frente do corpo deve ser massageada e esfregada debaixo para cima e a parte de trás do corpo deve ser estimulada com esfregações no sentido para baixo, isso obedece o sentido das musculaturas corporais. Atua ativando o sistema nervoso e circulatório,acorda os neuroreceptores musculares e motores.

Óleos de amêndoa,palma e gengibre são quentes e ótimos estimulantes musculares.

Ao batermos levemente com os dedos sobre a pele e percurtirmos os ossos do corpo,estimulamos como se massageássemos pele - músculos - osssos.

A respiração, assim como no ioga, é outra dica de ser organizada de acordo com os movimentos, valorizando um maior tempo de expiração (soltar o ar) e um menor tempo de inspiração (entrada de ar),assim, nosso sangue fica menos intoxicado!

Não seja preguiçoso comseu próprio corpo, promova a manutenção da sua saúde, buscando uma reeducação do movimento corporal e postural.




domingo, 18 de dezembro de 2011

BPAe BPDE :Já ouviu falar??

O BPA e BPDE são substâncias tóxicas presentes em diversos tipos de plásticos, principalmente os bem transparentes, não podem estar presentes em plásticos que serão usados para alimentos, logicamente contaminam e podem causar câncer, segundo diversas pesquisas recentemente realizadas.

Se olharmos ao nosso redor chegamos a conclusão que o mundo acabará envolvido em plástico,não parece mais ser apenas uma expressão e isso não é nada bom...Aliás, isso não é um modo de se falar, pois já existe uma grande ilha flutuante no oceano Pacífico de lixo plástico, que bóia trasformando uma área do tamanho de São Paulo em mar desértico,muitos animais marinhos morrem sufocados ou engasgados em sacolinhas plásticas...Pouco se conta sobre isso...!

Você já reparou que algumas embalagens de plástico de alimetos tem que vir com um selo dizendo que não possuem BPA e BPDE, como já vi em uma vasilha para guardar alimetos congelados da"Plasútil" que reforça não conter estes componenetes emsuas embalagens, isso comprova o quão é nocivo e quanto já estivemos em contato e não sabíamos!!!

Quem inventou este tipo de plástico, nunca poderia ter deixado produzirem mamadeiras por exemplo,com esta substância presente, mesmo assim isso já ocorreu...! Vejam como estamos sempre sendo cobaias de algumas indústrias irresponsáveis com a saúde pública...

O BPA,Bisfenol A é uma substância usada para aumentar a maleabilidade dos plásticos, ficando mais moles e flexíveis, porém são ativadas quando o plástico é aquecido, o que resulta em liberar a substância no alimento que estiver em contato, por ser semelhante ao hormônio estrógeno, acaba em excesso de contato provocando câncer e ativando precocemente a puberdade em meninas, segundo pesquisas, assim cuidado pesquise antes o produto que for comprar de plástico para usar em alimentos e não aqueça junto em microondas por exemplo, isso pode ser muito nocivo à saúde sua e de crianças!!!

Menos é mais! SESCSP x Resíduos sólidos

SESC SP lançou há cerca de 2 anos o programa: Lixo - Menos é mais, como uma das ações afirmativas para disseminar o conceito internamente em suas 32 Unidades por todo o Estado de São Paulo, de educação para a sustentabilidade e redução da produção de resíduos sólidos da instituição.

O SESCSP tem 65 anos de existência,como foi fundado em 1946, em Teresópolis - RJ, por um decreto lei assinado pelo então presidente da república, Eurico Gaspar Dutra e um grupo de empresários visionários, entre eles Roberto Simonsen, Basílio Machado Neto e Alcântara Machado, entre outros auspiciosos comerciantes e industriais, que elaboraram a Carta da Paz, como a certidão de nascimento e intenções arrojadas do Serviço Social do Comércio - SESC, Serviço Nacional da Aprendizagem - SENAC,Serviço Social da Indústria - SESI e Serviço Nacional da Aprendizagem Industrial - SENAI, instituiçõesprivadas, matidas por arrecadação compulsória de 1,5% da folha de pagamento dos comércios e indústrias contribuintes, que erguem gerações, promovendo a formação e qualificação profissional de ótimos técnicos e profissionais até hoje, bem como promovendo o bem-estar, qualidade de vida e reforçando a missão de dar acessibilidade à educação, cultura e lazer dos comerciários, industriários e suas famílias, bem como os trabalhadores das áreas de serviços,saúde e turismo, reforçando valores de respeito, ética,humanização, valorizando a diversidade cultural e promovendo a inclusão por meio de ações e programastransformadores da sociedade. Tarefa nada fácil, mas se tornou a força motriz da instituição junto a FIESP e FEComércioSP, onde muito vendo sendo investido em novas unidades mais ecoeficientes e cada vez mais acessíveis à sociedade como um todo.

Sabemos hoje que cerca de 1% apenas do resíduo reciclável do lixo doméstico da Capital Paulista é realmente reciclado após passar por cooperativas de triagem e coleta seletiva, isso mostra o quanto ainda temos que trabalhar e nos comprometer em realizar o descarte correto e consciente de nossos resíduos sólidos e mesmo dos líquidos. Sem dúvida menos lixo produzido,será mais qualidade de vida, menos desperdício, mais sustentabilidade em nossos processos e negócios, mais verbas destinadas para o desenvolvimento de pessoas e regiões...

Mesmo o SESC, também sofre com os problemas da geração de lixo, assim recentemente técnicos da área ambiental da instituição, iniciaram o programa interno de sensibilização sobre os 5 erres: Recusar, Reduzir, Reutilizar, Repensar e Reciclar os resíduos, embalagens e objetos que são descartados dos processos de produção doméstica e organizacional, reeducando os funcionários quanto ao consumo, reduzindo o desperdício, recusando produtos não responsáveis ecologicamente, repensando processos, hábitos e consumos, evitando o consumismo, reeducando fornecedores e colaboradores externos, recusando descartáveis, modernizando equipamentos e edifícios para serem mais ecoeficientes, reaproveitando materiais e poupando matéria-prima e encaminhando corretamente seus resíduos para cooperativas de catadores, como a Cooperativa Tietê, parceira do SESC e que vem crescendo e dignificando seu trabalho.

Vale a pena conferir o filme documentário de Vick Muniz - Lixo Extraordinário, que se passa na comunidade da atual cooperativa do lixão de Gramacho - RJ.

Faça mais pelo nosso Planeta! Colabore com a redução do lixo doméstico, pensebem, quando estiver diante da prateleira no supermercado ou no shopping,preciso ou quero? Com ou sem sacolinha ou excesso de embalagens? Compro perto ou longe de onde moro? Devo escolher algo ambientalmente responsável ou não estou nem ai pra isso? Só o governo é responsável ou as indústrias também? Posso colaborara com esta ideia e não ser consumista ou isso não écomigo? Posso aplicar os 5 Rs no meu cotidiano ou isso é besteira? Moro neste Planeta ou que ele vire um lixo inabitável e doente?

Podemos ser pequenos diante dos desafios,mas se cada um fizer o seu papel, mudamos o mundo!

Feliz 2012!

Guardiões da Cidade

Lanço aqui uma proposta para 2012.
As cidades e principalmente os bairros, deveriam ter um grupo de pessoas, contratadas pela própria comunidade, para serem os "Guardiões Urbanos", como educadores do bairro, ajudariam a preservar a região,criar campanhas e ações que articulem e rede sociocultural da região, como constantes educadores ambientais, não fiscalizando, mas mostrando aos moradores,comerciantes e passantes locais o motivo de preservar, manter limpeza e conservação dos bens públicos, ajudando no verde local e em todo o sistema urbano, no trânsito, aos pedestres, próximo aos meios de transporte público, praças,museus e escolas, prestando informações e sendo parceiros na segurança da região evitando que a violência domine ao estarem atentos e mantendo contato com a polícia, bombeiros e serviços de emergência e defesa civil. Seriam como um grupo de síndicos do bairro!!
O que mais falta nas grandes e mesmo nas pequenas cidades, são pessoas dispostas a ajudar a região a crescer e se desenvolver de modo mais humanizado,co-participativo com o governo, pois só assim a sociedade será mais ativa exercendo sua cidadania e tendo um nicho ecológico no ecossistema urbano que pertence. Só assim, seremos talvez agentes transformadores,não passivos aos problemas e desafios da agenda 21 socioambiental do pedaço!

confira como está sua pegada ecológica,como consome seu planeta?

http://www.pegadaecologica.org.br/

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Obsolescência Programada: O motor do Capitalismo

Obsolescência programada, você já ouviu falar sobre isso?
Pois é, dificilmente ouvirá ou encontrará artigos sobre isso na grande mídia e imprenssa convencional, pois este conceito, estratégia e mecanismo de manipulação da sociedade consumidora, não é interessante de ser divulgado e revelado, pois é a chave do consumismo que alimenta o mundo do Capitalismo há décadas...

Que bom que temos a Internet, como ao menos um veículo democrático e aliado da comunicação tática e inclusiva, que permite termos acesso as informações que circulam pelas redes sociais e alternativas, que voltam a alertar e provocar sobre esta reflexão!

Porém, os equipamentos e tecnologias que usamos para isso é que são, junto conosco uma das vítimas desta tramóia que é o motor secreto do consumismo, que é fazer e planejar de modo organizado e silencioso, em cartéis das indústrias, formas de garantir que os produtos tenham uma vida mais curta, fiquem logo obsoletos sem necessidade, para que nós precisemos comprar novos e assim fazer girar a roda da economia e do capitalismo. Outra estratégia é a sofisticada elaboração de produtos que nos tornem dependentes, como a invenção do ciclamato monosódico, que presentes em alguns alimentos, como salgadinhos, fazem o efeito do "impossível comer um só", ou as drogas legais como a cerveja e o cigarro...! Sem falar do recente absurso de criarem um novo padrão, dito mais seguro, de tomadas que obriga todo brasileiro a trocar suas tomadas, fora que equipamentos novos vem incompatibilizando o uso de extensões e filtros de linha, não tão antigos...obrigando que compremos no mínimo uma tomada adaptadora...

Por um lado, esta estratégia nos faz acreditar que realmente perderemos emprego se não formos consumistas, pois nesta lógica, a produção não pode parar, a indústria não pode produzir e vender algo que dure muito e só seja consumido a cada 20 ou 30 anos...Não, isso não existe mais...carros, eletrodomésticos e roupas que duram muito,não é mais comum. Por outro lado, percebemos, se estivermos atentos, que esta lógica perversa, só permite produtos duradouros, se forem bem caros e inacessíveis, para evitar desestabilizar este ciclode consumo, com isso, nos mostra e confirma suas intenções de poder e dominação.

Fica evidente que seria mais correto e sustentável durar mais, uma vez que economia e ecologia andam juntas! Tornar um produto obsoleto e programar que dê defeitos, que dure menos tempo, que sempre sejam lançados novos modelos, não é interessante para quem compra, é lógico que a era dos descartáveis sairá caro para o planeta!

Hoje pagamos muito caro pelos produtos e sempre eles tem uma garantia extendida, uma forma de reforçar que são de baixa durabilidade, logo não são de qualidade como antes...

Vale a pena assistir no youtube aos vídeos:

A História das coisas
Obsolescência Programada
Zeitgeist

São documentários curtos, que abrem esta discussão inteligente sobre a gestão do consumo, alertam sobre as armadilhas do consumismo contemporâneo, nos colocam a pensar sobre como governos decidem por nós, quanto a forma de vivermos e acreditarmos em algo que o poder usará para nos controlar e obter sua riqueza... Como os USA fazem quanto a indústria bélica, onde bancam e investem em guerras, armas e tecnologias de segurança e defesa, invadem territórios, apenas para vender segurança criando a insegurança...

Precisamos avançar no debate sobre o futuro que queremos, não devemos mais aceitar o PIB como referência de sustentabilidade, pois agora sabemos que não o é, temos que buscar, como no Butão, um novo olhar, podemos criar novos índices, como o FIB, onde não são os lucros com guerras e sim a noção da felicidade e qualidade de vida de uma nação que devem pesar mais ao crescimento de um país!!

Cuidado ! Estamos sendo enganados diariamente sobre nosso próprio destino, vejam como as coisas estão tomando rumos incontroláveis pelos governantes...A Europa está se aruinando em dívidas geradas pelo consumismo, mas que não contava com a revolta e denúncia popular...A sugestão equivocada e estratégica de tentarem dividir o Pará, é outro exemplo atual junto com a indecorosa proposta de construção da hidroelétrica de Belo Monte, onde novamente reforça o imediatismo do consumismo e da noção exploratória dos apenas vistos como recursos naturais a serem exauridos pelo poder de uma minoria irresponsável, tudo sempre em nome da Obsolescência Programada...destruir para consumir...até quando?





segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Educação & Cultura: Escola Pública Republicana?

Como anda a educação no Brasil!?
Se pararmos para analisar, está em uma fase curiosa, pois a economia do país dentre as diversas no cenário mundial, pode ser dita como uma das mais estáveis, resistindo à crise mundial e buscando alterantivas de equilíbrio socio-econômico, baixo índice de desemprego, ativando investimentos no mercado externo e interno, o pré-sal promovendo investimentos e polêmicas saudáveis quanto ao fluxo das riquezas e provocando retorno de futuros investimentos e moralização do uso de royaltes sobre os recursos naturais voltados aos interesses sociais e ambientais...

Nunca vivemos tantas possibilidades de estarmos mais perto de um caminho possível quanto a termos uma justiça social, não apenas nas vésperas de uma Copa do Mundo ser sediada em solo brasileiro em 2014, mas de realmente estarmos ativamente cobrando por ações efetivas e duradouras na infra-estrutura do país, na saúde e na educação, na moradia e empregabilidade, que são a base do harmonia e saúde social e ambiental.

Mas, sabemos que não basta progredir, sem promover o desenvolvimento, autonomia, protagonismo e dignidade das pessoas, dar exemplos de ética em cada ação social, isso sim será para sempre! Precisamos dar oportunidade para as pessoas crescerem, serem ouvidas, participarem das decisões, das derrotas, das conquistas, dos lucros e dos compromissos de cada um e do coletivo...

Assim, tudo gira em torno da "Cultura"!
Um país, um povo, uma cidade, um bairro, uma empresa ou uma família só se desenvolvem e se tornam eternizados e respeitados, quando souberam dar manutenção para sua cultura e fazer dela o lema saudável de suas vidas, sonhos e objetivos. Não há missão que se atinja, sem termos uma cultura bem definida e coerente, clara e que dá força para o todo, pois cada um entende e faz parte da construção desta cultura.

Até uma simples "cultura" de micro-organismos, só é dita cultura, por garantir que todos os seus seres, nela contidos se multiplicarão dentro de seus limites e condições pré-estabelecidos... A cultura nos precede, nascemos dentro de uma cultura, de uma sociedade pré-estabelecida, onde o mais rico são os laços sociais que podemos ter e participar ao sermos inseridos nela.

Segundo alguns pensadores e filósofos contemporâneos como Zygmunt Bauman, as suas sábias palavras em entrevista no programa "Café Filosófico", onde reforça que os laços sociais, são mais importantes que as atuais redes sociais, onde conectar-se ou desconectar-se é algo muito rápido e fácil, mas nada duradouro ou profundo, permite uma liberdade de contatos na rede, mas tudo na superficialidade cada vez mais comum da vida contemporânea, mas não há um compromisso...Isso é um alerta para onde queremos ir em nossa atual transição de culturas!

O Capitalismo está se transmutando, há um mal-estar da pós-modernidade, não sabemos no que vai dar e nem onde iremos parar, mas já podemos vislumbrar que finalmente as grandes potências, antes econômicas e culturais, exemplos de organização social e consumo acessível, agora apenas conhecidas das crises e das guerras, dos escândalos e consumismos, não aprenderam a lição, em seu imperialismo e imposição cultural e de consumo, agora agonizam sua própria receita de desfrutar dos seus excessos e chegarem ao fundo do poço, pois tudo tem um preço e tudo se esgota, quando não se cultiva o equilíbrio e a boa regra de que não estamos sozinhos neste planeta e que não adianta fingirmos que cegos às desigualdades socio-econômicas e ambientais de nossos vizinhos, nada ocorrerá contra os donos do poder!

Bauman, sugere que não devemos mais imitar nossos antepassados e suas culturas, devemos sim aprender com eles que, o mais importante é percebermos nosso contexto, nossos atuais valores e destinos, precisaremos ser criativos e inventar novos modelos de sociedade, de governo, de justiça, economia e ecologia humana, para sobrevivermos e inovarmos!
"Cada vez que ganharmos mais liberdade, entregaremos um pouco mais de nossa segurança...cada vez que ganharmos mais segurança, entregaremos um pouco mais de nossa liberdade..." Essa reflexão de Zygmunt Bauman é atualíssima, se pensarmos em termos das ações no Rio e em São Paulo, quanto a cultura das drogas legais e ilegais, combate ao tráfico, pacificação da Rocinha, Morro do Alemão...As constantes ações do exército norte americano no Oriente Médio...
Agora voltamos a clamar por mais liberdade e já perdemos quase toda nossa segurança!

Qual é a Cultura que queremos? Qual Educação estamos dando aos nossos filhos e jovens? De onde falamos?

Tão importante quanto ter conhecimento é saber o que fazer com ele!
Educar é transformar e encantar as pessoas, apresentando-lhes, provocando-lhes e trocando conhecimentos e sabendo ouvir cada um, cada cultura, suas diferenças são o que as tornam valiosas e curiosas aos que não fazem parte dela e aos que dela compartilham. Saber o que motiva uma pessoa a querer saber mais e melhor sobre algo é educar, é promover a troca cultural, não só a fruição individual, mas sermos sujeitos de nossa cultura!

Fernando José de Almeida, também filósofo de formação que nos reforça também a reflexão sobre um texto de Álvaro Vieira Pinto, de 1969, "Teoria da Cultura", de conteúdo marxista, mas ótimo para provocar-nos quanto a o que precisamos analisar e rever no que se refere a Cultura, como sendo um bem, um produto do qual fazemos parte, mas muitas vezes é diluída como algo material apenas, algo que se quer ter e ser consumida, mas pouco se fala em uma cultura que podemos ser o sujeito co-partícipe de sua criação e manutenção constante, evoluirmos em sua contemporaneidade, trazermos o que ela pode ter e dar de melhor, mas de forma mais justa, acessível, para todos e vinda dos anseios da coletividade!
Cultura é ética e estética. A cultura tem na estética a ética, por essência, pois o ético é belo, compartilhar e fazer o bem, fazer bem feito e para todos é correto! Fazer o bem é bonito! Esta é uma das mais claras regras da ética social milenar. Isso é cultural! Ética não é moral, ética tem o papel de questionar a moral. O que é certo? A educação é diálogo, é mediação, reflexão e questionamento constante da vida, é uma particularidade da ética!

As instituições visionárias, deste final da primeira década do século XXI, precisarão talvez serem mais parceiras das escolas, construírem laços sociais mais sólidos, mapearem melhor seu entorno, darem força aos movimentos culturais regionais, como forma de fortalecerem as redes socio-culturais e revitalizarem os sujeitos atores sociais destas culturas locais, para criarmos um verdadeiro e ecossistema social e cultural onde, Escola - Família - Sociedade troquem definitivamente conhecimentos, habilidades, atitudes e juntos se desenvolvam!

Estamos iniciando no país uma nova escola, a "Escola Republicana Brasileira", uma tentaiva de recuperar a cultura brasileira inovando com uma escola mais inclusiva e compartilhada com as instituições da sociedade, pois a "Escola democrática" não deu certo, fracassou em seu modelo e gestão, não incentivou o desenvolvimento das pessoas e sim o tecnicismo voltado ao mercado imediatista, não se formam técnicos, médicos, engenheiros, advogados, administradores, etc, sem a base de outras áreas do conhecimento, nem sempre rentáveis, como o próprio professor do ensino básico e fundamental...! Abandonou-se os educadores de áreas de pesquisa de base, como a química, física, biologia, sociologia, história, português...as escolas privadas imperaram, os papéis foram trocados de governo e sociedade, domina a classe burguesa...as escolas serviram a poucos, não foram inclusivas, vendem saberes e tecnologias, prometem acesso ao ensino superior facilitado, mas não contribuem para um mercado de trabalho mais justo, virou um comércio de cursos rápidos e ilusórios, diplomas express, carreiras imediatistas e superficiais...Fizeram comércio da educação, assim como o fizeram com a cultura!

A cultura de massa, mercantilista e utilitarista, a cultura capitalista do consumismo, a cultura empresarial e governamental da exploração, da corrupção, da rápida ascenção sem critérios claros, da competição desigual e desonesta, da quantidade a qualidade, dos previlégios e nepotismos...levaram-nos ao abismo social e cultural!

É perceptível o quanto cresceu o número de "Coletivos-Educadores", coletivos de músicos, de artistas plásticos e visuais, de escritores e poetas, críticas severas aos órgãos e sindicatos classistas, impostos e sanguesugas do trabalho formal e informal cultural...sinal de que as hegemonias não representam o todo e que os "Mecenas" talvez tenham abandonado a noção de cultura popular! Estes coletivos subvertem as regras do capitalismo, legítimos, não são cooperativas, não há um dono ou sócio, não há taxas ou contratos, todos compartilham conhecimento e oportunidades de criação e resistência aos modelos de poder social atuais, promovem reflexões socio-culturais regionais e mundiais, querem ser anônimos ou simplesmente...coletivos. Isso é uma mudança cultural!

Não faz tanto tempo, passamos a conviver com a ideia de copyleft ao invéz de copyrigth, abaixo aos direitos autorais indiscriminados e royaltes, que ficam mais nas mãos de indústrias do que de seus próprios autores...!? Até micro-organismos são patenteados por mega indústrias que se consideram donas da criação, só por terem desenvolvidos varietais sem licença da natureza!!!!
Um basta às pressões de uma cultura cada dia mais egoísta e nada compartilhada!

O Brasil tem uma característica multiculcuralista, isso nos coloca em vantagem no atual contexto socio-cultural mundial, pois lidamos desde nossa origem com a diversidade de culturas, influências, interesses, pluripartidarismos, biodiversidades, preconceitos, pobreza, sofremos genocídios indigenistas e escravagistas, séculos de exploração imperialista européia e norte-americana, nos abrimos aos imigrantes, às multinacionais, buscamos a democracia e a república, somos povo que começa a enteder que vale a pena ser nação...estamos talvez com a oportunidade nas mãos de acordarmos e reconhecermos nossa cultura plural, nosso ambiente singular e criarmos nossa educação para a sustentabilidade de um novo país!

Não devemos almejar modelos antigos, ultrapassados e ransosos de mero poder e glórias imperialistas, temos o compromisso de construírmos um Brasil que poderá ser exemplo de futuro aos demais países que também enfraquecidos até hoje, justamente pelo potencial de vida, ciência popular e cultura que pulsam, como o continente da África que esbanja uma cultura ainda calada e tão oprimida...

A ciência portanto, é uma particularidade da cultura e a educação é uma particularidade da ciência, onde ambas são o que alimenta a constante evolução da cultura entre os povos e nações que as contêm!

A cultura é um produto do processo criativo humano, é dinâmica e existencial, assim está em constante evolução histórica e a cronologia cultural é imemoriável, material e imaterial. A cultura é mutante, como diz Bauman, a vida é líquida, o tempo é líquido, perpassa por tudo, evapora, recicla-se constantemente, faz parte de todos nós...

domingo, 2 de outubro de 2011

# NADISMO...ÓCIO CRIATIVO...

Você já ouviu falar em"nadismo"?
Pois é, nem sempre nos demos conta que ou estamos no mundo do "negócio", ou seja do trabalho; ou no mundo do "ócio", do não trabalho, que é um raro momento quando não estamos produzindo nada para ser consumido...somos todos força de trabalho, vivemos num mundo do capital, assim valorizou-se muito o tempo livre e com isso, muitos pesquisadores começaram a estudar e buscar entender como podemos e devemos saber curtir e usufruir mais deste "ocio criativo", como sugere Domenico de Masi, pensador italiano, que já esteve diversas vezes no Brasil e é um dos referenciais do SESC juntamente com Joffre Dumazedier, outro pensador, francês, que desde os anos 70,divulgam e pesquisam, no que diz respeito a promoção da cultura acessível e investir no tempo livre das pessoas,principalmente do trabalhador...

Segundo um novo promotor do ócio, ou melhor do nadismo, Marcelo Bohrer, paulistano e publicitário, é o conceito e filosofia de vida de buscar divertir-se, relaxar e não fazer absolutamente nada...ao menos de vez em quando! Seria um novo movimento saudável,semelhante ao do ócio criativo, porém a provocação está em não estimular a fazer nada, propõe parar tudo, curtir o agora,sem pressa!

Existe até um livro sobre o nadismo - Ed. Mega Livro,Marcelo Bohrer,uma revolução sem fazer nada,onde fala do "stopnjoy" - desfrute a vida sem fazer nada,sem pressa!

Marcelo Gleiseir,astrofísico brasileiro e também pesquisador do cotidiano, analisa sobre o "nada" por outra ótica, a da física quântica, onde conclui que o nada no sentido de ausência do tudo, não existe! Mas, pode ser responsável pelo destino do Universo!

Ou seja, mesmo quando achamos que nada estamos fazendo,ou nada está ocorrendo, ainda assim estamos realizando algo, ou participando de algo que tem significado para nós mesmos e que pode mudar o destino de nossas vidas, como simplesmente ao meditarmos não pensarmos em nada...coisa rara, mas que após esta vivência muitas vezes retornamos diferentes e muito melhores para enfrentar e compreender onde estamos inseridos,quando saímos de cena...observamos tudo de fora de nossa própria vida...desaceleramos para poder curtir e refletir.

Nosso cotidiano anda nos impondo ter a certeza de que o tempo está acelerado,não temos tempo para nada, pouco curtimos a vida...o mundo do negócio está nos engolindo...já alertava o Marxismo...!

Catraca-Livre: greves sim, desrespeito ao cidadão não!

Neste curto artigo, quero apenas deixar registrado de que o que está faltando no Brasil, quando se trata de greves, é sermos menos castigados, pois é que justamente quem mais paga caro pelo descaso com os salários e profissionais, que acabam tendo que parar de trabalhar como protesto ao governo ou empresários, que muitas vezes permitem que o prejuízo fique justamente para nós,sendo que quem mais paga por impostos e taxas e que pouco tem de retorno por tudo isso, somos nós!

Assim, sugiro que quando houver greve dos correios, que as agências só deixassem de enviar documentos ecorrespondências de quem não lhes está pagando corretamente, ou quando o metrô entra em greve, que as catracas fossem liberadas ao público,pois nós sóqueremos ir ao trabalho e temos o direito de ir e vir, pagamos pelo serviço, quem não pagou foi o governo ou concessionárias e não nós que temos que arcar com esse prejuízo público...Estamos cansados de pagar pelos erros ou egoísmo do enriquecimento irresponsável dos que controlam os serviços das cidades.

Só queremos trabalhar e sermos respeitados, não só na hora do voto...

Sustentabilista ou Ambientalista?

A partir de uma palestra que participei emabril deste ano com RicardoVoltolini,jornalista ambiental dos mais conceituados no Brasil, que veio ao SESC SP trazer uma nova reflexão sobre sustentabilidade e educação para a sustentabilidade, comecei a elaborar um outro olhar sobre o que ele trouxe:

"Eu não sou ambientalista, sou sustentabilista..."

A crítica ao ambientalismo, como movimento que teve um início nos anos70, de grandes proporções,trazendo críticas e denúncias socioambientais, ótimos comunicadores da sustentabilidade, ativismos e sensibilizações, mas acabou ficando nos extremos, o ambientalismo meramente instrutivo e de sensibilização que pouco avançou e realmente transformou o mundo e seus costumes, pois não quis ou não conseguiu mexer na base do consumo e do Capitalismo; por outro lado, temos o ambientalismo ativista, que atuante nas causas imediatas e combate aos abusos contra a natureza, se limita a combater os infratores e pouco avançou em políticas públicas de evitar os delitos com leis mais severas na base da cadeia produtiva, pois estes grupos de ONGs afirmam que não tem papel ou responsabilidade como educadores socioambientais e sim como ativistas e ponto. Os educadores socioambientais, portanto, precisam e me incluo nessa, sermos mais sustentáveis em tudo que fizermos e melhor, fazermos mais em ações transformadoras do que sensibilizarmos apenas, pois temos que aproveitar que o mundo acordou e percebeu as consequências da irresponsabilidade do Capitalismo e seu consumismo avassalador, a vergonha e ruína dos EUA, que enriqueceram com a guerra e o neoliberalismo irresponsável e investirmos mais em rever e desconstruir esta cadeia de produção e modelos de consumo, propondo e realizando novos fluxos e formas de fazer, pesquisando e comunicando o que realmente poderá nos colocar rumo a um cotidiano mais sustentável...Isso é ser sustentabilista, pois é comum de quem investe e trabalha a favor da sustentabilidade, na prática de seu dia-a-dia, dando exemplo nas suas escolhas...

Aliás, mais um bom exemplo de que ecologia e economia são ciências comuns, pois visam a compreensão e manutenção dos patrimônios de nosso ambiente.

CATA-BAGULHO: SP x LIXO URBANO

Muita gente já deve ter ouvido falar ou reparou, que as Sub-Prefeituras da Grande S. Paulo, vem tentando combater o despejo irresponsável de resíduos sólidos em geral, provenientes das residências, que na maioria das vezes são responsáveis por mais de 70% do lixo abandonado nas vias públicas da cidade. Uma das maneiras encontradas pela prefeitura é um calendário de recolhimento destes resíduos de grande porte, direto nas casas, de bairro em bairro, antes que sejam abandonados em qualquer lugar público.

Esta é a já bem conhecida,"Operação Cata-Bagulho", que objetiva divulgar com antecedência, quando e em quebairro passarão os caminhões eequipes da prefeitura,que recolhem móveis,veículos abandonados, ferro-velho, grandes objetos sem uso e entulho, para a destinação correta. Ação local, serviço urbano-ambiental global!

Nos jornais de bairro e no serviço TVMinuto no metrô, semanalmente temos estas divulgações e agenda de recolhimentos. Porém, se cada cidadão tiver a consciência de que se organizar para ser responsável sempre por seu resíduo ou itens quenão quer mais e buscar doar, contatar instituições idôneas que também gratuitamente vem buscar as doações para seus projetos sociais e assim, ajudamos pessoas, sem gerar desperdícios, nem fazer de um objeto usado lixo obrigatoriamente, além de que não precisamos perder dinheiro gerando custos à prefeituras,senósmesmos soubermos ganhar dinheiros reutilizando, disponibilizando para recicladores e cooperativas ou doando para quemprecisa, isso é ecologicamente e socialmente saudável e economicamente justo! Que tal se informar mais e ajudar a termos uma cidade mais limpa e justa? Isso é uma noção de coletividade, de senso urbano e cidadania solidária, algo que perdemos no ritmo da cidade grande, mas que podemos recuperar exercitando a noção de responsabilidade social por tudo que temos e que fazemos.

A Agenda 21 local e global, já previa isso em 1992,se passaram 20 anos e pouco avançamos ou incorporamos isso em nosso cotidiano,você já reparou nisso?

Acredito que a ecologia urbana seja uma ciência que tenderá a se expandir como essencial na gestão das cidades, pois auxilia na governaça das questões urbanas,quando nos provoca a entender os conceitos e consequências quanto a doar,ou jogar fora, consumir ou partir para o consumismo, responsabilizar-se ou  ser irresponsável na cidadeonde vive, resíduos ou lixo etc...

 Lembro bem, quando morava perto do estimado e já degradado córrego Águas espraiadas, no Campo Belo,nos anos 80, já via sofás, móveis ou pneus jogados no rio, 20 anos depois o governo optou por construir piscinões(reservatórios gigantes de águas pluviais para evitar enchentes locais), o que mostra como
pagamos caro depois, por descaso e ignorância mútua de cidadãos e governo, quando abandonamos nossos deveres e respeito com o ambiente que nos cerca e que nos presta serviços vitais desde que façamos a nossa parte...

sábado, 14 de maio de 2011

Museu de Pesca de Santos: História Natural do Litoral Paulista

O Brasil ainda não valoriza muito seus museus de história natural, mas temos por quase todo país, diversos museus com temáticas e acervos de incrível valor social, cultural, ambiental e científico! O Museu de Pesca de Santos, com quase um século de existência, sediado na antiga escola da marinha, na Ponta da Praia na cidade de Santos, no litoral sudeste paulistano, a cerca de uma hora e meia da Capital é um exemplo disso.

O grande destaque tradicional do acervo deste museu é a arcada de uma baleia em perfeitas condições científicas, um cachalote de mais de 18 metros de comprimento que fica no segundo piso do museu, onde há cerca de 10 anos foi reformado e deu um piso de vidro que permite ao visitante ver a ossada erguida e avistada do térreo. O cetáceo que ra comum na região de Santos-Bertioga é uma das principais e raras atrações para a curiosidade e história da região, onde já teve no passado do século XVIII e XIX o uso frequente do óleo de baleia em lamparinas e postes da cidade, bem como o consumo de sua banha e carne. Neste museu é possível de conhecermos também o famoso leão-marinho, "macaé" que por muitos anos foi a atração do Aquário Municipal de Santos, mas que tanto ele, como o sucessor "macaezinho", já morreram e estão taxidermizados (embalsamados) para contarem a história e eternizarem lembranças destes animais para quem os conheceu vivos e ilustrar agora aulas e ações educacionais para escolares e visitantes, famílias e turistas de todo canto.

Existe também algumas canoas e maquetes de embarcações, verdadeiros achados históricos na região que lá estão expostas datada, uma delas, de mais de século de existência desenterrada em praia da região mostra como era usada a madeira e tronco inteiro de árvores específicas, para uso desta confecção de canoas de pesca dos índios e caiçaras locais.

Há também um acervo de areias de prais de diversas regiões do país, de norte a sul, onde épossível notar a granulosidade, cor, minerais presentes e texturas, bem como de onde vieram!

Vale apena conferir e prestigiar estes locais que contam muito da natureza da região e do passado local.

domingo, 3 de abril de 2011

Acessibilidade nas Cidades: PcD e Você!

Você já parou para pensar que toda acessibilidade que é adquirida para um local da cidade, é vantagem para todos? Por exemplo, se o metrô instala uma rampa de acesso à estação, a grande maioria das pessoas passa a usar esta rampa para entrar ou sair da estação, as escadas vão ficando cada dia mais vazias quanto ao uso... se temos a escada rolante e a escada comum, a maioria usa a rolante...se temos o elevador e a escada, a maioria gostaria de usar o elevador, ainda que ele seja de uso exclusivo em alguns lugares..., se temos uma rampa na calçada para cadeirantes e deficientes visuais, quase todos nós já usamo-nas para melhor circular...principalmente quando estamos puxando um carrinho de carga, de feira, ou mesmo de bicicleta! Isso reforça a ideia de que acessibilidade é universal, pois todos saem ganhando e ainda incluímos as Pessoas com Deficiências (PcD) nas rotinas do cotidiano das cidades e de nossas vidas! Olha que legal e que bom motivo para lutarmos por mais políticas públicas e de governo sobre estas questões! Isso é ser atuante e protagonista em sua cidade! Ajude a conservar estes equipamentos de acessibilidade, cobre quando sentir a sua falta ou denuncie sua depredação!

MUNICÍPIOS VERDES!

Está ai uma resposta às ações sustentáveis que podemos incentivar e participar em nossas cidades, seja no meio rural ou urbano...! O governo junto com a sociedade de regiões da Amazônia, como Paragominas - Pará, estão buscando mudar a visão degradada e violenta de sua região, com ações de sustentabilidade, promovendo a conservação de áreas verdes, matas nativas e manutenção da área agrícola local, com a publicação de uma Cartilha "Municípios Verdes: caminhos para a sustentabilidade" (material de apoio didático de educação socioambeitnal) estimulando pequenos agricultores a preservarem e conservarem solo, vegetação e manaciais com o princípio do conservador-recebedor. Quem conserva a sua região, receberá remuneração pela conservação dos serviços ambientias que ajudou a manter! Perfeito! veja mais em: http://www.planetasustentavel.com.br/

domingo, 6 de março de 2011

Ano Internacional das Florestas - ONU 2011


Estamos entrando na época das águas de março novamente, tudo é cíclico...mas, parece que já caiu toda água do mundo no sudeste do Brasil desde janeiro...


(fotos: Google Imagem)


Seriam os rios voadores, percebidos por Gerard Moss*, pesquisador e aviador científico brasileiro (*primeiro piloto a testar planador movido a energia solar), associados aos desmatamentos e o aquecimento global que estariam juntos, levando a estes desequilíbrios acentuarem-se? Teria la niña e el niño (massas de ar e marítmas que ora aquecem ou resfriam o Pacífico) ampliado este fenômeno ao longo dos séculos mais recentes?

O ano de 2011, no Brasil, inicia-se marcado por grandes desastres ambientais associados às chuvas, desmoronamentos de encostas e enchentes de proporções catastróficas, rios que subiram além do costumeiro, mas fenômenos cíclicos, a retomada de margens, mortes por habitação irregular, desabrigados e vítimas da degradação ambiental na maioria das vezes causadas por desmatamentos de grandes áreas e avanço das cidades sobre as matas e florestas. Existe planejamento urbano? Há leis para proteger e conservar as Florestas? O Código Florestal de 1964 deve mesmo ser alterado como ditam os ruralistas e latifundiários que pressionam governos e Congresso? Nosso futuro comum pode ser ameaçado por interesses individuais? Os biomas não são mais um direito difuso? Opa! Como a ONU aponta este como o "Ano Internacional das Florestas", destaco aqui minha singela contribuição, na visão de que muito precisaremos fazer para preservar e conservar as florestas de nosso país! A começar pela ameaçada e reduzida Mata Atlântica, que restam apenas cerca de 3% de sua cobertura original, que ia de norte a sul de todo o litoral do país, bioma dos mais ricos em biodiversidade por metro quadrado do Planeta, poucos avanços podem ser notados quanto a sua manutenção e preservação, nestes últimos 20 anos. A concessionária de estradas e rodovias Ecovias, na imigrantes e Anchieta, procura manter parte deste patrimônio ambiental, conservando as bordas das rodovias e os serviços ambientais que este ecossietam oferece aos paulistanos e paulistas da baixada santista, mas faltam ainda APP, APAs e UCs que resguardem este ecossistema frágil e já cercado por cidades, rodovias, rodoanéis, ferrovias, represas, tubulações de gás, petróleo, redes de energia, túneis, favelas, aldeias indígenas aculturadas, quilombos resilientes às pressões culturais, portos, indústrias, turismo, vilas operárias, cidades dormitório como Paranapiacaba (Sto. André - SP), trilhas, sítos, chácaras, fazendas, hotéis, parques particulares, condomínios privados, invasões, caça ilegal, madeireiras, reflorestamentos papeleiros...lixões...conjuntos habitacionais populares... Algumas ONGs pouco conseguiram fazer para preservar e dar dignidade sustentável à região por todo litoral do país, incluindo a população paulistana e paulista que não souberam bem usar o solo e floresta de nossa terra. Hoje sabemos que a valoração dos serviços ambientais vem sendo mais difundida e entendida, que o geoprocessamento de dados mapográficos já podem nos sinalizar onde o governo e comunidades poderiam estar atuando em ações de replantio, revegetação nativa, zoneamento de habitação e plantas industriais, controle de extrativismos, como o do palmito e madeiras, onde habitar e onde não desmatar...áreas de risco e de preservação e proteção permanente... As maiores fontes de manaciais e lençóis hidrominerias do Estado estão nesta região, toda mata nativa, repertório de sementes e herbáceas de uso medicinal e a mata ciliar estão ameaçados, por mais que diversos trabalhos de etnobotânica tenham reforçado de uma década para cá estes valores socioambientais locais, fora os biomas que se estendem como ecótones (áreas de transição) como os mangues e lagamares/ estuários no litoral, que junto com a mata de frente das dunas e praias, como o jundú e as matas secundárias de embaúbas e manacás, sibipirunas, mescladas por nativas como, pau-ferro, cedros, jacarandás, jequitibás, manacás da serra e de cheiro, samambaias-açu e quaresmeiras, bromélias entre tantas outras, formam a massa verde da "muralha" da Serra do Mar, a qual ainda nos garante o rítmo das chuvas de relevo da região sudeste de S. Paulo...a vida dos caiçaras e a beleza que antes ia até a avenida Paulista, pois para quem não sabe, o Parque do Trianon é um residual de Mata Atlântica remanescente, que só por que foi preservada no passado, hoje podemos saber que já tivemos esta vegetação por todo o nosso Estado. Falta-nos conhecer o que é a "florestania", o sentido de cidadania e preservação da floresta, como um bem natural, uma riqueza e não um mero recurso comercial. O direito das comunidades das florestas poderem se apoderar deste patrimônio natural, conservando-o para o bem comum e de suas famílias, com dignidade...Isso já havia sido alertado pelos seringueiros do Acre, nos movimentos de Chico Mendes! As florestas nos prestam um serviço ambiental gratúito, quando garantem-nos água, clima, alimentos, animais e equilíbrio ambiental. Elas evitam a erosão do solo, mantêm as temperaturas locais amenas, a umidade e o ritmo das chuvas. As raízes de árvores e gramíneas protegem o solo de pancadas de chuvas intensas e assim evitam desmoronamentos, movimentação de solo e risco de assoriamento de rios, enchentes e falta de água potável. Se cada um plantasse uma árvore por ano, recuperasse seu espaço, destinasse seu lixo corretamente, não poluísse, nem consumisse irresponsavelmente, evitasse o desperdício de alimentos, de papel, madeira e matérias-primas em geral, já estariam sendo mais cidadãos e parceiros das florestas que muito nos beneficiam até hoje...compre apenas madeiras certificadas e papel com selo FSC, pratique turismo social sustentável, economize a natureza que lhe presta serviços diariamente sem nada nos cobrar, a não ser sua preservação, conservação e respeito... Adote uma praça em sua cidade ou bairro, plante, cuide do verde de sua casa, de seu prédio e em seu trabalho, seja aquele que sempre promove a sustentabilidade dos negócios e que esta consciência seja multiplicada e atue fazendo valer estes conceitos e práticas, mais do que isso... dando e sendo exemplo! Uma floresta em pé, saudável e preservada, onde dela sua comunidade tira serviços e extrai o que sobreviver, mas lembrando das gerações futuras, estará garantindo o presente e o futuro de sua região e do planeta! Verde preservado, não há dengue, falta de água ou falta de saúde! veja também: www.planetasustentavel.com.br

GEN INÚTIL...EVOLUÇÃO CASUAL DO CONHECIMENTO: Arte, Ciência e Criação!


Artes Visuais...O que isso pode ter a ver com ciência, evolução e criatividade no meio cultural?


A transversalidade do conhecimento a favor da criatividade. Quanto mais pudermos ser observadores de todas as áreas, mais detalhes simbólicos, mais informações temporariamente e aparentemente inúteis podem nos ser riquíssimas no processo criativo e na inventividade de nossas criações e elaborações humanas.
Parece-me mesmo, que precisamos nos libertar de amarras metodológicas, preconceitos e padrões mentais viciados, para de fato alcançarmos a fruição da arte e o prazer da criatividade, para assim chegar-se ao ineditismo e inovação!
Precisou Lamark e Wallace, no século XIX, serem pioneiros, muitas vezes esquecidos e desvalorizados, por proporem teorias inicialmente absurdas da evolução pelo uso e deuso, pela adaptabiliade do corpo aos desafios ambientais, para darem pistas e abrirem caminho para outros observadores contemporâneos com Charles Darwin, aprimorar e debruçar-se por todos os lugares do planeta que pudesse encontrar respostas às perguntas levantadas por seus colegas, que levaram-no a parcialmente finalizar a teoria da seleção natural das espécies, a teoria da evolução e especiação, onde o isolamento pode promover novas espécies e os mais aptos sobrevivem e seus gens assim são perpetuados...Biológica e ecologicamente, percebemos que a natureza nos revela que a evolução surge de modo casual, por experimentação de acertos e erros, a partir de gens que podem ser úteis em algum momento, mas que tudo depende de uma oportunidade para que determinada característica evolutiva seja vantajosa ou não.
A teoria do criacionismo divino, é colocada em questão justamente por ser limitada e reducionista. O caos universal, a casualidade e evolução do cosmo nos aponta que é perfeita justamente por não depender de um criador o tempo todo, mas depender da criatividade do acaso para ser perfeita e única!
Esta grande metáfora, nos valerá para muitas reflexões sobre como é valioso estarmos abertos a conhecer um pouco de tudo, sermos bons observadores, interdisciplinares e atentos a transversalidade de temas e conceitos, pois isso é a essência da criatividade e da criação universal. Tudo ocorre de modo casual, não-linear, isso parece levar a resultados felizes, inéditos e inesperados na natureza.
Recentemente estive em uma palestra sobre o tema "Processo Criativo" em Artes Visuais com o pesquisador britânico, residente no Brasil (RJ), Charles Watson, de humor escocês, ele nos faz pensar por meio da biologia, da evolução e da ciência náutica, que inclusive é construtor de veleiros por lazer e vale-se deste recorte observador e detalhista para provocar as pessoas quanto ao processo de criar. Em suas metáforas pouco comuns, ele mostra esta importânica que tem quando somos observadores, curiosos nos pequenos detalhes que podem ser num primeiro momento inúteis, mas que podem se tornar o diferencial para a criatividade em geral. "Gens inúteis hoje, podem ser fator determinante de sobrevivência no futuro..."
Assim, sugere que nas artes de modo geral, o que falta hoje são pessoas que ousem, que façam a diferença justamente por não estarem fazendo algo obrigatoriamente utilitário, que tenha sentido imediato...pois futuramente a proposta poderá ter sentido em outro contexto...deve-se permitir a fruição da arte...cada um tem sua leitura sobre cada obra...isso é a riqueza, somada a criadores que busquem mais detalhes, que pesquisem a diversidade de possibilidades...isso é a evolução da arte...não linear, não utilitarista...apenas um gen inútil que pode talvez contribuir para o todo da evolução casual humana...
A mediação na educação informal e não-formal e formação de públicos, nas artes e na cultura de modo geral é essencial para que o público-observador e o artista-criador, troquem impressões, sensações e reflexões com a verdadeira fruição da arte, sem que haja abordagens pré-definidas, e que tenham conceitualmente um sentido e razão evidentes. A evolução das artes visuais, das mídias e de toda produção cultural deste segmento, dependem de modo vital, da evolução casual e não intensional do processo criativo que se encontra vivo nas ruas, nos ateliês, nos subúrbios e periferias, nas comunidades ditas primitivas...no olhar das crianças...na educomunicação, nos ensaios e laboratórios, nas ousadas curadorias...e não exatamente na comercialização da arte, que sufoca a criação e massifica a intensionalidade da arte!

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

457 Anos de SAMPA!!!!

Há sete anos atrás estávamos em 2004, há 57 anos atrás estávamos em 1954 e há 457 anos atrás estávamos em 1554. Uau! É incrível imaginar que o Brasil já tenha seus respeitáveis 511 anos de tantas histórias boas e outras nem tanto! Superamos a fase de matança explícita de índios nativos, passamos pelos Jesuítas e Bandeirantes que pouco contribuíram para uma boa recordação do que foi esta época, mas que garantiu a existência e a fixação dos colonizadores e imperialistas Portugueses em solo de Vera Cruz. Superamos a noção unicamente extrativista e colonial de explorar a qualquer custo, pois o objetivo era enriquecer o rei e a corte em Portugal! Nada ficaria para o futuro dos futuros brasileiros desde então...

Nossa! Contando assim nossa história nada politicamente correta, fica triste e muito verdadeira, pois basta hoje ver cada uma destas heranças que nos põem a refletir o quão estamos devendo em retribuir aos que tiveram a coragem de virar a página e escrever uma outra história, agora do Brasil!

Pois é, é desta história que hoje podemos comemorar com os 457 anos de São Paulo, que cresceu tanto, talvez até além do que deveria, em termos sustentáveis, mas que sempre como generosa Cidade, abriu-se para o Brasil e para o Mundo! Hoje somos planetários, todas as nações, religiões e povos se encontram aqui, mesmo inimigos fora da qui, aqui são vizinhos e compadres...!

Pensar que em 1554 éramos uma pequena e simples província, terra da garoa fina e estrangeiros de pouca esperança por dias melhores, nativos sofrendo massacres e exploração, piratas, depois a vergonha da escravidão e finalmente a república democrática, isso já eram os idos de 1889, com o fim do Império. D. Pedro e Padre Anchieta até que ajudaram com suas visões de futuro e amor a terra que pisavam...

Incrível pensar que já tivemos nos idos de 1930 uma aparência européia, onde até hoje restaram inúmeras e históricas construções de estilos franceses, ingleses e até barrocos presenteando espaços de museus e escolas, salas de espetáculos e bancos que preservam esta fase da cidade, que hoje já é um híbrido de contemporaneidade exagerada de obras erméticas, arquiteturas sem valor social e nada saudáveis, devido ao excesso de vidros, ar condicionado e falta de uma linguagem mais tropical e nacional...Pois é, cedemos a tudo de bom e de ruim...!

Os demais Estados do Brasil não avançaram tanto nestes 457 anos, o que nos coloca a preocupação de qual política federativa estamos rumando, pois de nada adiantará crescermos e atrairmos todos para cá, abandonando o restante do país...isso levará a um desequilíbrio socioambiental e econômico, o qual já estamos pagando gravemente no sudeste!

Basta ver como está o Rio em função de perder atenção para Barsília, desde os anos 60...!
Veja o Norte em relação ao Nordeste, veja o Nordeste semi-árido em relação a São Paulo...!

Em 2004 o mundo ainda estava bem amarrado aos acontecimentos de 11/09/2001 e de lá pra cá muito se repensou quanto aos valores que a sociedade mundial pretendia reconquistar!

Em 1954, o mundo estava saindo do pós-guerra, que foi o maior fiasco e bancarrota para os países europeus e momento de grande enriquecimento para os EUA, com a reconstrução, "bancada" por eles! O Brasil vivia um momento estadista civil, grandes investimentos no operariado, na industrialização e crescimetno do país, mas ainda desordenado...

Hoje, 457 anos depois da fundação de da Vila de São Paulo, do Páteo do Colégio, poucos de nós faz ideia do que foi a Saga para chegarmos a se a Cidade Megalópole que somos!

Parabéns à querida Cidade, "de donde nós nascemo e passemo dias felizes de nossas vidas!"
Adoniram que o diga, por tudo que já foi é onde queremos chegar!

A Natureza não castiga...!

Caos? Revanche? Aquecimento Global? Culpa de quem?

Caros Leitores, vale a pena lembrar que a mídia e as manchetes não devem ser o único parâmetro para acreditarmos que dias piores estão por vir...Ultimamente a profecia de 2012 está muito recorrente e incidindo no inconsciente coletivo de todas sociedades, por todo Planeta...

É assim que queremos melhorar e "continuar evoluindo"? É isso que pretendemos deixar como legado para nossos filhos, filhas, netas e netos? Será esta a visão que deixaremos passivamente para a história de nossa geração neste século?...

Pois é! Fico indignado de ver como as instituições, mídias, empresas e a indústria pouco se dispõem a nos devolver um mundo melhor, pois como consumidores nós é quem ditamos nesta cadeia produtiva o que deverá ser o produto que queremos e isso está diretamente ligado às escolhas que fazemos e o mundo que queremos...

Ok! Somos culpados, em parte, por este mundo detonado que conseguimos ter a ousadia de degradar, pois parte dos "grandes nomes" de nossa sociedade moderna acabaram com o planeta em prol de ficarem ricos apenas, de garantirem apenas a conta corrente de suas famílias, o que é ridículo e irônico ( o Planeta é um só), pois na arrogância, prepotência e ignorância típicas dos que acreditam serem os "donos" do Planeta, está sempre uma "bomba relógio" que eles mesmos armam contra si e seus herdeiros, pois esquecem que na natureza, nos ciclos naturais universais, nada fica impune, nada se compra com dinheiro ou fuga, terá uma volta imperdoável desta irresponsabilidade... Egoísmo não cabe nos sistemas e ciclos vivos, que inevitalvelmente pertencemos, pois tudo tem um equilíbrio, uma força e uma RETOMADA!

Na natureza há violência por territórios e fome, há abandono de crias, há fidelidade e infidelidade, há canibalismo, há predação, parasitismo, há trocas, duelos e estratégias de sobrevivência, há talentos, há feras e docilidade, há altruísmo..., mas não há espaço para vingança ou corrupção, crime, estelionato, pecado, irresponsabilidade ou consumismo, não se vê depredação ou poluição, degradação da vida...Há?

Pois é, se levarmos todos os itens ao esgotamento desta reflexão é capaz de concluirmos que somos mesmo natureza, até mesmo no que mais abominamos em nós mesmos! Deveria ser mais um motivo para buscarmos nossa essência - respeito a vida e a sobrevivência de todos!

Não é preciso ser profeta, escrever em tom de profecia ou ameaça, pois a humanidade, deixou de ser humana, topou vender-se ao conforto da mediocridade capitalista ( que está nos seus últimos momentos), da aparência, do poder desequilibrado para ter a qualquer custo a riqueza de uma minoria que ainda diz que tudo que já está acontecendo será só com os pobres, coitados, pois moram sempre onde não deveriam estar...

Será mesmo que isso dá para ser aceito? Você já reparou que quem está morrendo são apenas as pessoas que estão em locais de RETOMADA da Natureza, mas entre os mortos estão ricos e pobres...! O alvo deste reequilíbrio dinâmico, não são as pessoas, são os locais! Antes fosse aquele que desmatou ser o que morre, ou o que criou transgêncios que morresse pela própria natureza dos fatos...! Ao menos seria uma boa lição de limites, mas que não é possível na prática, mas também não é impossível, pois tudo que foi criado de ruim à natureza e seus biomas, chegará até seus responsáveis pela própria teia alimentar...

A Natureza não castiga..., apenas mostra quem governa!

Seria bom, a humanidade se unir, refletir mais sobre seu rumo, pois nós precisamos voltar a ser humanos, no sentido ecológico de escolhas do viver, voltar ao "religare" com a natureza! Para isso, não será preciso muito, nem virar um eremita, apenas escolhas mais verdadeiras, mais honestidade, mas solidariedade, planejamento familar, economia, poupar as matérias-primas, voltarmos a pensar sobre o que é viver em família e sociedade, repensarmos o que é de fato uma cidade, se queremos mesmo asfaltar tudo, sermos sedentários ao extremo e egoístas, continuar com a infantiliadade de achar que as coisas brotam das prateleiras dos supermercados e que existirão sempre mesmo com nossa irresponsabilidade de desperdícios, que a natureza é uma provedora inesgotável, mesmo sendo agredida e destruída...

Será que paramos de achar que a ciência dá conta de tudo? Assim, viver em cidades e depositar a responsabilidade às leis, políticos e cientsitas, como sendo eles que nos darão uma vida boa é a mais pura piração e babaquice! Gente, vamos acordar e perceber que o Brasil, por exemplo, só está entrando numa fase mais sólida economicamente, por ter minimamente lembrado recentemente dos mais pobres, em coisas básicas...mas também as custas de impactar mais seus ecossistemas com o PAC, pouco responsável e nada diversificado!

Não existe desenvolvimento sustentável, pois desenvolvimento para nossa sociedade implica em grandes impactos ambientais e sociais para crescer! O que existe é crescimento sustentável, que implica em crescer mais devagar, porém com solidez e respeito aos ecossistemas e comunidades das florestas, implica em acumular riquezas poupando, mas de modo responsável, sem agredir ou desiquilibrar outras sociedades e pensando no futuro agindo no presente de modo preventivo, exige educação permanente, paciência e tecnologias mais caras, escolhas mais eficazes, necessita de economia e poupar recursos financeiros e bens naturais...

Nosso país vem dando certo, justamente por termos mais pessoas na sociedade trabalhadora e empresários mais sérios, que não dependem mais de governos para crescerem com maturidade, somos muito mais independentes do que imaginamos! Consumimos com mais responsabilidade, cobramos mais, ouvimos mais, falamos menos, estamos fazendo muito mais projetos sociais do que muito país europeu fez em 500 anos! A solidez de nossa gente está em não acreditarmos mais em nada que seja campanha, que seja esmola, barganha ou imediatismo! Queremos outro tipo de país, outro tipo de gente nos representando, ou talvez nem isso seja mais importante ou satisfatório, pois as demandas do Planeta não podem depender de ciclos de 4 em 4 anos, nem mesmo os anos bisextos dependem dos pseudopolíticos para acontecerem...(rsrs...). O mundo de hoje e os ciclos de vida não podem esperar 4 anos para manterem-se e renovarem-se!

Não serão tsunamis, chuvas, furacões, nevascas, avalanches, enchentes, terremotos, vulcanismos, maremotos, trombas d'água, vendavais, 1300 raios por dia, explosões solares ou alinhamento de planetas, que nos farão parar para sermos melhores...parece-me que infelizmente somos muito pequenos, cegos talvez e incapazes de mudar nossa própria história...aliás, quem dá valor ao que a História sempre revela...? Repetimos sempre os mesmos erros, como se fosse a prova de nossa necessidade em errar, errar, errar até sermos mesmo castigados e depois acharmos que somos culpados, pois tivemos todos uma educação equivocada, absurda em temer a Deus e nascermos de um pecado...! Absurdo, pois Deus, seja o que cada um considerar, existe, é uma energia que nos eleva a alma, nos alimenta, mas só se nos fizermos parte deste todo, sem hierarquias ou "humanos" achando que podem representar este todo...Somos uma REDE! Mas, tristemente as religiões por todo o planeta quase sempre fazem da figura do Criador, algo a ser temido e não o mais simples e óbvio que é a ideia do ser amado e respeitado, que está presente em tudo e em todos, nas coisas do cotidiano!

A noção ecológica e sistêmica de sermos e termos um nicho, um papel no ambiente em que vivemos e pertencemos, temos uma missão a cumprirmos neste Universo...

BEM, TUDO ISSO QUE DIVAGO E DIVIDO COM VCS. É APENAS PARA CHEGAR NA PROPOSTA DE PENSARMOS JUNTOS DE QUE NADA DO QUE VEM ACONTECENDO NO BRASIL E NO MUNDO, COM TANTAS DESGRAÇAS E CATÁSTROFES...NÃO É NADA NOVO, APENAS MAIS INTENSO, POIS SABEMOS MUITO MAIS DO QUE ANTES...ESTAMOS CADA DIA MAIS PREPARADOS PARA PERCEBER QUE NÃO MANDAMOS NO PLANETA E QUE TODOS ESTES ACONTECIMENTOS SÃO UMA RESPOSTAS, UMA RETOMADA DE ESPAÇOS E REEQUILÍBRIOS BEM, OU MAL QUE TEREMOS QUE TESTEMUNHAR PARA QUE SEJA REINICIADO UM NOVO CICLO VITAL E NATURAL MAIS HARMONIOSO...

RESTA-NOS APENAS A ESCOLHA DE QUAL POSTURA PRETENDEREMOS TER DAQUI PARA FRENTE, POIS O PLANETA JÁ DECIDIU QUAL SERÁ A DELE!